Trabalhos 2020-21

Painel Biodiversidade da Minha Terra

Escola Básica de Freiria (Torres Vedras)

Escalão:  2º escalão (2º e 3º ciclos)

Pesquisa sobre a biodiversidade local:

Memória Descritiva:
Queres destruir o que resta? Não? Então cuida da floresta!
Iniciámos o nosso projeto “Biodiversidade da minha terra – desafio UHU” no mês de fevereiro, durante
o regime de ensino não presencial. A nossa professora propôs que desenvolvêssemos o trabalho sobre
um ecossistema muito importante e a preservar - a floresta autóctone. Entre muitas outras importantes
funções, a floresta é um lugar de refúgio e reprodução para um grande número de espécies animais.
Para conhecer uma floresta autóctone, habitualmente os alunos da nossa escola visitam e realizam uma
aula de campo na Tapada Nacional de Mafra, que fica situada a oito quilómetros da nossa escola, mas
neste ano atípico de Pandemia e devido aos condicionalismos do Plano de Contingência da Escola não
foi possível realizar essa visita. Embarcámos, então, no desafio de pesquisar e ficar a conhecer a fauna e
a flora desse ecossistema.
Cada um de nós elaborou uma pesquisa sobre uma espécie da floresta e preencheu a respetiva ficha de
caracterização da espécie. No caso das espécies animais, registámos o nome comum, o nome científico
e a família, as características gerais da espécie, o habitat, a distribuição geográfica e a abundância, a
reprodução, a alimentação, o estatuto de conservação, curiosidades e completámos a pesquisa com
uma imagem da espécie. Para as espécies vegetais foram indicados o nome comum, o nome científico e
a família, as características gerais, a distribuição geográfica, as preferências ambientais, a propagação,
as utilizações, curiosidades e, também, uma foto da espécie. Durante o mês de março, ainda no
decorrer de aulas por videoconferência, cada um de nós apresentou aos colegas da turma a espécie
sobre a qual havia pesquisado.
Quando voltámos ao ensino presencial, em abril, planeámos o cartaz “Biodiversidade da minha terra”
para participar no desfio UHU, desenvolvendo o projeto a partir da frase “Queres destruir o que resta?
Não? Então cuida da floresta!”. Cada um de nós selecionou uma imagem da fauna ou da flora sobre a
qual havia realizado a pesquisa, enviámos a imagem para a nossa professora, que ajustou a escala e
imprimiu as imagens dos animais. No papel de cenário desenhámos com pormenor algumas espécies
vegetais características da floresta típica mediterrânica, como o pinheiro-bravo, o sobreiro e o carvalho.
Reutilizámos cartão para reforçar a base do cartaz. Colorimos a floresta desenhada. Recortámos as
imagens da fauna autóctone e colámos com cola UHU as imagens dos animais no cartaz,
nomeadamente o javali, a doninha, o toirão, o sacarrabos, o furão, a geneta, a raposa, o rato-do-campo,
o texugo, a coruja-do-mato, o sardão, a víbora-cornuda, o veado, o gamo, a ave trepadeira e o
peneireiro-das-torres. Por fim, desenhamos, com a ajuda do computador, as letras da frase “Queres
destruir o que resta? Não? Então cuida da floresta!”, recortámos e colámos as letras no cartaz.
O Cartaz foi exposto no átrio principal da nossa escola, no dia Eco-Escolas, para lembrar a todos que é
importante preservar as florestas e a biodiversidade que albergam.
Os alunos da turma 8ºE-F da Escola Básica de Freiria
c/ orientação da professora Sara Maria Rodrigues dos Santos
9/6/202

Fotos do painel: