Trabalhos 2020-21

Painel Biodiversidade da Minha Terra

Escola Sec. de Vendas Novas (Vendas Novas)

Escalão:  2º escalão (2º e 3º ciclos)

Pesquisa sobre a biodiversidade local:

Memória Descritiva:
Segundo o Plano Municipal do Ambiente de Vendas Novas, “da análise da cartografia obtida, verifica-se que o concelho de Vendas Novas possui uma elevada componente florestal, nomeadamente de montados de sobro, por vezes associados a azinheira, uma componente de montados de azinho inferior à anterior, e uma elevada componente de pinhais, de pinheiro manso ou bravo e mistos. Realce para uma considerável componente de eucaliptal, e de associações de cobertos entre as espécies atrás referidas. A segunda componente com maior expressividade diz respeito a culturas diversas, frequentemente associadas à componente florestal”.
Foi neste contexto e após consulta de vários sites, que os alunos deram nova vida a um painel de metal, outrora “tela” de inspiração para outras mensagens de traços e de cor. Reutilizaram papel de jornal, tingiram o novo cenário de céu azul e campos dourados e deram vida a um elemento tão natural e característico destas paragens – a bolota. Esta, destaca-se no relevo dos ramos de cartão reutilizado e a folhagem no reaproveitamento de pequenos restos de papel crepe. A paisagem foi enriquecida com uma pintura de fundo, suportada numa rede hexagonal, que deu forma a pequenos favos, associados ao doce mel e às suas “obreiras”. Para continuar a construção desta nova tela, os alunos escolheram deixar um pouco da sua “experiência vivida”, pendurada num cordel, como se de uma memória se tratasse, junto do emblemático Quercus suber. A biodiversidade que dá vida a este painel, foi de escolha individual, desenhada e colorida por cada um deles, desde o cheiroso rosmaninho (Lavandula stoechas), passando pela típica pinha (ou estróbilo), pela púrpura papoila (Papaver rhoeas), pela mediterrânica oliveira (Olea europaea) e por campos de trigo ceifado, em “jeito de “modernidade”. Os sons das planuras são ilustrados pela elegante libélula (libellula), pelas vaidosas poupa (Upupa epops) e abetarda (Otis tarda), o colorido pintassilgo (Carduelis carduelis) e o poderoso javali (Sus scrofa).
O nosso painel da biodiversidade constitui uma homenagem à nossa paisagem de vida e de cor. Este “quadro” foi “pintado” também com palavras de ordem que devemos seguir para que os nossos ecossistemas sejam a marca registada de cada região – gerir, reflorestar, certificar, cuidar, equilibrar, reduzir, economizar, compostar, proteger, conservar, preservar, plantar, reaproveitar, educar, respeitar mas, podendo sempre, de forma sustentável, refletir, transformar, mudar, renovar,
É importante ensinar/aprender a olhar conscientemente o que nos rodeia, para que a atitude perante essa realidade seja cada vez mais marcada por atos de cidadania ativa e responsável.

Fotos do painel: