Trabalhos 2020-21

Mocho em 3D

Escola EB de Canaviais (Évora)

Escalão:  1º escalão (jardins de infância e 1º ciclo)

Projeto do mocho:

Memória Descritiva:
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANDRÉ DE GOUVEIA – ÉVORA
ESCOLA BÁSICA DOS CANAVIAIS
“ESCULTURA DE UM MOCHO”
- MEMÓRIA DESCRITIVA -
Tendo em consideração o regulamento estabelecido para a atividade “Escultura de um Mocho”, coordenada pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), em parceria com a UHU, a aluna Margarida de São José Abreu, n.º 15, da turma 2.º B, da Escola Básica dos Canaviais, decidiu participar no desafio, atendendo ao seu gosto por mochos! Desta forma, começou por manifestar o seu interesse à professora coordenadora do Programa Eco-Escolas.
Quase todos os dias, os pais da aluna se queixavam da quantidade de publicidade que era deixada na respetiva caixa de correio, por isso, em conversa com o seu pai, e no que se refere ao desafio, pensou na reutilização desses folhetos publicitários e/ou jornais para a elaboração da escultura.
Assim, a discente começou a pensar como fazer o mocho, passando para o papel as suas ideias, projetando em desenho a escultura que queria criar, com recurso a colagens.
De seguida, “arregaçou as mangas e pôs mãos à obra”. Começou por fazer inúmeros rolos com o referido papel, utilizando a cola UHU. Os rolos que foram utilizados para a elaboração do corpo e olhos do animal foram espalmados com o rolo da massa da mãe e, de seguida, enrolados e colados em espiral. A maior espiral efetuada constituiu o corpo e as duas menores os olhos. Para a construção das asas e dos penachos foram, também, utilizados rolinhos de papel, no entanto, estes não foram espalmados. Para o mocho ficar ainda mais bonito, e conseguir ver melhor, foram colados dois botões velhos (“roubados” da caixa de costura da mãe). As patas do mocho foram construídas com recurso a uma espátula de madeira, a qual fazia parte de uma maleta médica da aluna. Para a elaboração da cauda utilizou-se um cordel desfiado. Utilizando o mesmo material, foi colocada uma pequena argola no topo do mocho por forma a que este pudesse ser pendurado. Como os mochos gostam muito de estar pousados nas árvores, através de um passeio pelo campo, recolheu-se do chão um pedaço de tronco de um sobreiro, onde o mocho se empoleirou.
Atendendo ao referido anteriormente, como materiais utilizados neste desafio são de referir os seguintes: papel (folhetos publicitários/jornal); botões; cola UHU; cordel; ramo de árvore e uma espátula de madeira.
Évora, 08 de junho de 2021

Fotos da escultura: