Trabalhos 2020-21

Eco-Piñata

Escola Secundária Dr. Júlio Martins - Agrupamento de Escolas Dr. Júlio Martins (Chaves)

Escalão:  1º escalão (jardins de infância e 1º ciclo)

Pesquisa sobre a origem da pinhata:

Memória Descritiva:
Materiais utilizados: 2 balões, tiras de papel de panfletos de hipermercado, rolos de papel higiénico, fita cola de papel, tampas de garrafas de iogurte, palhas, papel crepe, pincéis, cola branca, farinha, corante alimentar e sal.
Execução:
 Comecei por encher 2 balões, um com maior volume que o outro, para formar o corpo e a cabeça da aranha.
 Preparei uma pasta de papel com 1 chávena farinha, uma chávena de água e uma colher de sal, e usando um pincel molhei as tiras de papel, que fui colocando no balão até ficar todo coberto pelas tiras.
 Deixei secar durante 1 dia e repeti este processo no dia seguinte. No terceiro dia repeti este processo, mas usando cola branca, para ficar mais resistente.
 Para fazer cada uma das patas da aranha usei 3 rolos de papel higiénico vazios, que uni com fita cola de papel. Depois colei tiras de papel crepe pretas e azul/lilás, que cortei para fazer o efeito dos pelos da aranha;
 Para os olhos usei as tampas, que cobri com papel crepe preto. Para dar um bocadinho de brilho, pintei umas bolinhas no centro com um verniz da minha mãe;
 Para pintar a aranha e as patas utilizei a mesma pasta que usei como cola, com farinha, água e sal, mas acrescentei corante alimentar, misturando azul e vermelho e obtive um azul com tons de lilás;
 Para fazer os palpos usei duas palhas que cobri com papel crepe;
 Para fazer as quelíceras utilizei para cada uma um rolo de papel higiénico, uma tampa de iogurte líquido e papel crepe para revestir;
 Para fazer as fiandeiras utilizei as pontas de duas palhas de papel (parte em bico) e papel crepe;
 Depois de pintar o corpo da aranha, com um xizato fiz uma abertura em forma
de “U”, que posso levantar para pôr os doces na Pinhata;
 Para pendurar a Pinhata usei fio de pesca.
 Depois vendamos os olhos e tentamos deitá-la abaixo.
Doces: para colocar na Pinhata fiz gomas e rebuçados caseiros.
Gomas: 200 ml de água a ferver, 1 saqueta de gelatina sem açúcar de sabor tuti-fruti e 10 g de gelatina neutra. Misturei o pó das gelatinas com água a ferver, mexendo sempre. Depois coloquei o preparado numa forma de silicone e em formas para fazer cubos de gelo e levei ao frigorífico. Depois de prontas embrulhei-as em papel vegetal.
Rebuçados: 1 tigela de açúcar, meia tigela de água, 1 colher de sopa de sumo de limão e 1 de sopa de mel. Deitei os ingredientes numa panela em lume alto e fui mexendo até ficar com cor castanho mais escuro. Por fim, retirei do lume, deixei arrefecer um pouco e com ajuda de uma colher deitei pequenos bocados em cima de uma folha de papel vegetal. Quando frios, embrulhei-os em papel vegetal.
Como aceitei este desafio no confinamento, o meu irmão, Guilherme Silva Trinta, com 4 anos, da turma 0 E, da minha escola, foi o meu ajudante a fazer a Pinhata.
Gabriel Silva Trinta 4º C e Guilherme Silva Trinta 0 E

Fotos da pinhata: