Trabalhos 2020-21

Collage dos ODS

Escola Secundária de Casquilhos (Barreiro)

Escalão:  3º escalão (secundário, profissional e superior)

Ilustração em collage, do pictograma representativo do ODS:

Fotos de ilustração em collage, resultante da discussão e interpretação do ODS escolhido:

Memória Descritiva:
Collage de um ODS
O meu trabalho é sobre o ODS número 5: Igualdade de Género. Na collage, utilizei diversos recortes de diferentes revistas, todos a representar mulheres. Colei-os de modo a preencher o fundo da cartolina por completo e, de seguida, colei as legendas. Em relação às pessoas representadas, o meu objetivo principal era retratar todo o tipo de mulheres, com diferentes idades, tons de pele e aspetos físicos, e criar um ambiente inclusivo para todas, de igual forma. Decidi colocar apenas mulheres, visto que são quem está mais prejudicado pelas desigualdades de género e, assim, pretendo alertar as pessoas para tal. O lema que escolhi “Capacitar todas as mulheres e raparigas” traduz isso mesmo.
Optei por este ODS pois é um tema que sempre me interessou. Especialmente agora, com a pandemia de COVID-19, o objetivo da igualdade de género encontra-se severamente frágil, visto que uma grande parte dos empregos na linha da frente de combate contra o vírus são ocupados por mulheres: dos 49 milhões de trabalhadores no serviço de cuidados na União Europeia, cerca de 76% são mulheres (além disso, as mulheres constituem 95% dos auxiliares domésticos e serviços de limpeza e 93% dos serviços e cuidados a crianças e de ensino).
Posto isto, é também possível observar-se uma subida na insegurança dos empregos para as mulheres, dado que 84% das mulheres empregadas (dos 15 aos 64 anos) encontram-se nos setores mais afetados pelas perdas de emprego face à COVID-19. Com isso, mais de 30% das mulheres na UE trabalham a part-time e ocupam também uma grande parte do trabalho informal, o que significa que têm menos direitos como trabalhadoras e menos proteção a nível da saúde, bem como outros benefícios essenciais.
As mulheres são também muito mais propícias a tirar tempo de folga para cuidar de filhos ou outros familiares, uma vez que os estereótipos comuns ainda afirmam que o ensino, a enfermagem, a obstetrícia e trabalhos domésticos e de secretária são “trabalhos de mulheres”.
Outro fator a apontar é a violência doméstica. Cerca de 50 mulheres morrem todas as semanas vítimas de violência doméstica, na União Europeia, e as restrições da COVID-19 aumentaram as dificuldades na procura de ajuda.
A capacitação de todas as mulheres, não só no local de trabalho, como também na sociedade, independentemente da sua idade ou etnia, é algo que deve ser instaurado nos padrões de todos os seres humanos, visando um futuro mais justo. Os objetivos principais ao realizar esta colagem foram demonstrar o meu interesse pelo tema e a necessidade de transmitir aos outros a importância de se atingir, até 2030, a justa igualdade de género.
Todas as estatísticas utilizadas foram obtidas no site do Parlamento Europeu.
Leonor Alberto, 10ºD, Escola Secundária de Casquilhos - Barreiro