Trabalhos 2018-19

Calendário do Mar – Fase 2

Escola Profissional Amar Terra Verde - Vila Verde (Vila Verde)

Escalão:  2º escalão (2º e 3º ciclos, Secundário e Superior)

Fotografia - Capa:

Fotografia - Janeiro:

Fotografia - Fevereiro:

Fotografia - Março:

Fotografia - Abril:

Fotografia - Maio:

Fotografia - Junho:

Fotografia - Julho:

Fotografia - Agosto:

Fotografia - Setembro:

Fotografia - Outubro:

Fotografia - Novembro:

Fotografia - Dezembro:

Memória descritiva:
O calendário do mar foi elaborado pela turma do 1ºano (10º) do curso Técnico de Design Gráfico, orientados pela professora Fátima Pimenta.
Os vários desenhos ilustram vários peixes e o objetivo principal é chamar a atenção de todos os humanos para a importância da proteção de toda a comunidade marinha. A consciencialização da humanidade para a sustentabilidade do meio aquático e para a proteção da biodiversidade deve ser constante e nada melhor que alertar o mundo recorrendo à reutilização de lixo encontrado nos oceanos para a construção do nosso calendário.
Nas imagens ilustrativas do calendário foram usados materiais recicláveis como revistas, sacos plásticos e jornais, dando uma nova vida a materiais já sem uso.
Foram usadas técnicas de colagem, desenho e pintura.
Em alguns meses usamos recortes de folhas em quadrados de cores diferentes juntos, criando a imagem final, esta ideia foi inspirada em azulejos.
Noutras imagens foram utilizadas folhas de jornal enrugadas e amachucadas, que posteriormente foram pintadas para dar à imagem textura e um interesse visual.
Também foram utilizados sacos plásticos para obtermos uma textura diferenciada do jornal e mais leve.
O motivo principal para o recurso aos sacos de plástico foi o facto de ser um material muito falado: “O plástico que só usas uma vez tortura os oceanos para sempre”.
Usar o plástico como material para ilustrar este calendário foi a forma de nós criticarmos silenciosamente os nossos atos irresponsáveis e poluentes. O impacto do plástico nos oceanos é assustador, e nos últimos tempos, as redes sociais têm divulgado várias imagens assustadoras, com animais em sofrimento. O que gostaríamos que acontecesse é que ações simples, como a nossa, pudessem alertar para a obrigação da redução da utilização de plásticos.