Trabalhos 2018-19

Calendário do Mar – Fase 1

Escola Sec. de Vendas Novas (Vendas Novas)

Escalão:  2º escalão (2º e 3º ciclos, Secundário e Superior)

Fotografia:

Descrição da imagem:
ALERTA: STOPLÁSTICOS!!!
O MAR tem sido um dos ecossistemas mais afectados pelos RESÍDUOS plásticos que invadiram o Mundo Atual. Uma das vítimas deste tipo de poluição é a TARTARUGA MARINHA, réptil da Ordem Testudines existente há mais de 180 milhões de anos. Esta está agrupada nas famílias Dermocheydae (Dermochelys coriacea) e Cheloniidae (Caretta caretta, Chelonia mydas, Eretmochelys imbricata, Lepidochelys olivacea, Lepidochelys kempii e Natator depressus), apresentando na totalidade seis géneros e sete espécies. Estudos afirmam que terá evoluído a partir das tartarugas de água doce, mas a presença de uma carapaça mais achatada torna-a mais leve e hidrodinâmica. Possui audição, visão e olfato desenvolvidos e as patas são eficientes “barbatanas” debaixo de água. O seu comprimento pode variar de 53cm até 1,9m, não havendo diferença de tamanho entre machos e fêmeas.
A maioria das espécies de tartarugas marinhas é migratória e orienta-se pelo oceano com a ajuda do campo magnético terrestre. Um dos fatores de crucial importância no ciclo de vida das tartarugas marinhas é a temperatura, influenciando diretamente a determinação do sexo, nascimento e crescimento da cria, a atividade no interior do ninho, o tempo de incubação dos ovos, a hibernação e a distribuição geográfica. Quanto a esta última, a maior parte das ocorrências reprodutivas está concentrada em regiões tropicais e subtropicais.
A sua dieta é, na generalidade omnívora, sendo constituída por zooplâncton, algas, moluscos, peixes, crustáceos, entre outros.
Segundo vários tipos de investigação, mais de metade das tartarugas marinhas do mundo, já ingeriram plástico e outros resíduos produzidos por um Mundo cada vez mais consumista e “descartável”. A ingestão de “lixos plásticos” pode causar asfixia, ferir órgãos internos e até causar a morte por inanimação.
Esta imagem, pretende mostrar “olhos nos olhos” o apelo ( STOPLÁSTICOS!) de uma tartaruga (símbolo de tantos outros animais marinhos) para a “plásticodependência” que tem vindo progressivamente a “minar” o nosso Planeta. Entre corais de fogo e rosa, recortados num mosaico de pequenas colagens de papel azul-marinho dos oceanos, surge este imponente exemplar com “decoupage” de jornal, que simboliza a necessidade de informar/comunicar o que se passa nas profundezas deste planeta Terra/Mar.
Material – reutilização de papel diverso (fotocópia, jornal…), tesoura, cola UHU.
Alunos – 12º Ano (Artes Visuais – Escola Secundária de Vendas Novas)
Professoras Nazaré Conceição, Maria José Rodrigues