Trabalhos 2018-19

Calendário do Mar – Fase 1

Jardim de Infância Nº1 de Casal de Cambra (Sintra)

Escalão:  1º escalão (jardins de infância e 1º ciclo)

Fotografia:

Descrição da imagem:
Atividade realizada pelas crianças do Jardim de Infância nº1 de Casal de Cambra.
Por serem crianças com idades compreendidas entre os 4 e 5 anos, a proposta de atividades tem um carater informativo/educativo assente numa dinâmica lúdica, onde a imagem, canções, poemas, danças e histórias estão presentes. Assim, a frase deste trabalho contempla um poema, que dada as suas características torna a mensagem mais percetível.
Memória descritiva: As crianças reproduziram, através da técnica collage, uma imagem sobre o habitat do cavalo-marinho. Utilizaram para o efeito cola stick da UHU e papel de revista, procurando cores que correspondessem à realidade. Com este trabalho adquiriram e desenvolveram diversas competências, que se encontram associadas à técnica de expressão plástica, noções espaciais, literacia e conhecimentos sobre este animal marinho. Na sua execução revelaram um gosto pela técnica, desenvolvendo trabalho a pares.
Por ser o animal macho que engravida, gostariam de dedicar esta imagem ao mês de março, mês em que se comemora o Dia do pai.
A escolha deste animal foi motivada pela sua ameaça de extinção tendo sido comunicada a seguinte informação, a fim de as sensibilizar para a importância da preservação das espécies:
Os cavalos-marinhos são peixes ósseos encontrados normalmente em águas rasas. Apresentam tamanho variado, movem-se devagar na água e, para não serem levados pela correnteza, enroscam a cauda em algumas plantas aquáticas, corais ou algas. Os cavalos-marinhos alimentam-se de pequenas larvas de camarões, moluscos e outros pequenos animais, como as pulgas-da-praia. Para capturar sua presa, eles sugam a água. São os machos que ficam grávidos.
O mundo encantado dos cavalos-marinhos está ameaçado pela pesca predatória e a destruição do local onde vivem. A sua captura serve para fins medicinais, peças decorativas ou para serem colocados em aquários. Atualmente, dois biólogos portugueses querem reproduzi-los de forma sustentável para o mercado.