Trabalhos 2018

Centro de Infância Arte e Qualidade

Escalão:  1º escalão (jardins de infância e 1º ciclo)

Descrição do painel:
Painel elaborado em cartão com 100x220cm de dimensão.
Foram aproveitados cartões de caixotes, embalagens, bem como, restos de cartolinas e outros papéis. Procedeu-se à sobreposição de planos, com efeito "janela", para emoldurar cinco das muitas diferentes espécies da floresta autóctone portuguesa. Para finalizar, forrou-se todo o painel com cartolina Bristol para uniformizar a trabalho final.
Como elementos gráficos e de especial importância, as espécies selecionadas e representadas foram identificadas com a designação do seu nome-comum e do seu nome científico.

Memória descritiva:
A partir da seleção de cinco diferentes espécies arbóreas da nossa floresta autóctone, com especial enfoque na comestibilidade e beleza dos seus frutos e sementes, elaborou-se um painel tridimensional recorrendo à colagem de diferentes cartões e cartolinas. É de referir que, apesar da bolota da azinheira ser o fruto mais comestível, podendo considerar-se a do carvalho ou do sobreiro, optou-se por fazer a representação do carvalho-alvarinho por ser uma das espécies mais representativas da nossa região (Aveiro, Beira Litoral).
O zimbro-comum ou o zimbro-anão (Juniperus communis) é quase sempre de porte arbustivo e é característico das maiores altitudes das serras do Gerês e da Estrela. Distribui-se pelas regiões frias de todo o hemisfério Norte. Com as suas “bagas” produz-se a aguardente de zimbro e condimentam-se pratos regionais.
Pinheiro-manso (Pinus pinea) é uma árvore de copa ampla, com uma silhueta inconfundível, até 30m de altura. Espécie com crescente valor económico, foi muito importante para a construção naval, pelo menos desde o tempo dos árabes, e o pinhão tem um alto valor nutritivo sendo muito apreciado em diversas receitas.
O medronheiro ou ervedeiro (Arbutus unedo), uma das espécies arbóreas mais expandidas do país, apenas estando ausente das regiões mais frias ou secas. Com ela se produz a afamada “aguardente de medronho”. Muito ornamental, podendo alcançar os 15m de altura nos sítios mais húmidos.
O castanheiro (Castanea sativa), árvore hoje característica das regiões frias do interior, teve no passado um papel relevante nas sociedades rurais um pouco por todo o país. Atinge 30m de altura e vive muitos séculos, fornecendo inúmeros produtos (castanha, madeira, tiras para cestaria, etc.).
Ao carvalho-alvarinho (Quercus robur) são atribuídas propriedades adstringentes (contrai os tecidos, os capilares, os orifícios e tende a diminuir as secreções das mucosas), anti-sépticas (destrói os germes ou inibe o seu desenvolvimento), febrífugas (combate a febre) e tónicas (exerce uma acção fortificante e estimulante sobre o organismo, diminuindo a fadiga). A sua madeira, de excelente qualidade, é utilizada no fabrico de mobiliário e na construção civil (vigas e traves) e as bolotas, mais utilizadas na alimentação do gado suíno, podem servir para fazer farinha e infusões.

Fotos do painel:

FLORESTA_Painel
FLORESTA_Pinheiro
FLORESTA_Perspectiva
FLORESTA_Pormenor
FLORESTA_Carvalho
RECORTAR_folhas