Trabalhos 2018

Escola EB1/JI Nº5 do Barreiro

Escalão:  1º escalão (jardins de infância e 1º ciclo)

Descrição do painel:
O painel da Floresta foi realizado por todas as turmas da escola da EB1/JI Nº 5 do Barreiro.
Todas as turmas participaram na sua realização com pesquisas sobre as árvores autóctones na nossa região, a fauna e a flora da Mata da Machada.
A Mata Nacional da Machada encontra-se situada no centro da Península de Setúbal, no concelho do Barreiro entre as povoações de Coina, Palhais e Santo António da Charneca. Sujeita a Regime Florestal esta Mata encontra-se hoje, sob a gestão da Direcção Regional de Agricultura do Ribatejo e Oeste e ocupa uma área com cerca de 385,7 hectares.
Sendo a única área florestal de razoável dimensão do Concelho, a Mata é considerada o “Pulmão da Cidade” e um local privilegiado para atividades de recreio e lazer, dispõe de um parque de merendas e diversos fontanários, para além de um Centro de Educação Ambiental e de uma rede de estradas e caminhos frequentemente utilizados para práticas desportivas, permitindo à população uma melhor qualidade de vida

Memória descritiva:
Na Mata da Machada existem muitos animais e plantas. Podemos observar gaios, pegas com longas caudas, cartaxos, pisco-de-peito-ruivo, toutinegras, melros, chapim-azul, pintassilgos, cotovias, água-de-asa-redonda, coruja-das-torres, pica-pau, que prefere as árvores mortas ou de madeira mais macia para fazer o seu ninho.
As genetas são caçadores magníficos e também fazem da Mata a sua cas, também há coelhos-bravos, rolas, abelharucos, raposas, sardões, ratos-do-campo, cobras-rasteiras, osgas, lagartixas-do-mato, borboletas-cauda-de-andorinha, toupeiras, morcegos-anões, abelhas, galinhas-de-água, patos-reais, cobras-de-água, salamandras, rãs e sapos.
No Sapal do rio Coina, que se encontra na orla da mata, observamos graças-brancas-pequenas, alfaiates, pilrito-comum, falmingos e peixes como a dourada.
A área florestal da Mata da Machada apresenta um estrato arbóreo com diversos povoamentos de pinheiro- bravo, pinheiro- manso e sobreiro. Podemos observar também ulmeiros, medronheiros, freixos, plátanos, salgueiros, eucaliptos, choupo-branco, amoreiras e acácias
Os diversos povoamentos vegetais, assim como a topologia da Mata da Machada, constituem o habitat de diversos grupos de animais. Este espaço é rico em avifauna, destacando-se espécies como a toutinegra, o abelharuco ou o pisco-de-peito-ruivo, mas também aves de rapina, como é o caso da águia-de-asa-redonda.
A raposa, a geneta e o coelho são alguns dos mamíferos que aqui podemos encontrar, juntamente com várias espécies de anfíbios e répteis como a salamandra-de-pintas-amarelas, o sapo-corredor e a cobra-rateira.
Na orla da Mata, encontramos o Sapal do rio Coina, onde podemos observar as garças-brancas-pequenas de ar altivo a caçarem peixes, como a dourada, que vem desovar nestas águas calmas, e os alfaiates de patas azuis e bico comprido que percorrem as margens em busca de alimento. Mas há mais: podemos ver flamingos, perna-vermelha e borrelhos. Todas estas aves são limícolas, ou seja vivem na zona limite entre a maré alta e a maré baixa, alimentando-se de pequenos crustáceos e outros animais que se encontram no lodo. Algumas têm patas compridas, outras bicos finos e compridos; umas voam, outras caminham rapidamente, umas são residentes, outras migratórias, mas todas elas têm algo em comum: O Sapal é a sua casa.

Fotos do painel:

IMG_0063
IMG_0067
IMG_0074
IMG_0136
IMG_0139
IMG_0002