Trabalhos 2016

Escola EB1 do Viso (Figueira da Foz)

Escalão:  1º escalão (jardins de infância e 1º ciclo)

Descrição do painel:
A Escola do Viso está localizada numa zona residencial da Figueira da Foz.
A um passo da nossa escola, estende-se a linda “ Praia da Claridade”, mas é na zona da Tramagueira que vamos encontrar uma faixa rochosa que fervilha de vida, podendo ser observada na maré baixa.
A biodiversidade nas praias rochosas é grande, sendo importante preservar o seu equilíbrio com o respeito que os homens deviam ter por estes espaços naturais. A abundância de seres vivos existentes neste lugar passa despercebida aos veraneantes, assim, cabe aos mais novos estudar o habitat destas espécies, a sua interligação e a importância que têm neste ecossistema.
As praias rochosas além de funcionarem como locais de alimentação nas marés cheias são também utilizadas como maternidade e crescimento de juvenis.
A vida nas zonas entre marés obriga a uma adaptação extrema dos seus habitantes que ficam sujeitos a variações intensas de luminosidade, de temperatura, salinidade e do tempo em que se encontram fora de água.
Neste ecossistema encontramos seres microscópicos como o plâncton e o zooplâncton mas também aqueles que podemos observar a olho nu como é o caso das algas, das esponjas, das anémonas, dos anelídeos como a barroeira, das cracas, os bálanos, as percebes. Alguns passeiam livremente nas poças de maré como o camarão, o caranguejo, a navalheira, a santola e a sapateira. Existem pequenos crustáceos sem carapaça como os isópodes, os anfípodes (pulga-do-mar) e os ermitas. Entre os moluscos temos os quítones, as lapas, o caramucho, o burrié e o búzio. Os bivalves, como as ameijoas, os mexilhões, as vieiras e as ostras são animais filtradores tornando-se muito importantes neste ecossistema. A vinagreira-do-mar aparece junto às algas principalmente na primavera para colocar os seus ovos que formam cordões. O polvo caça caranguejos à noite.
Os equinodermes estão representados pelas estrelas-do-mar que possuem centenas de minúsculos pés (pés ambulacrários) que lhes permitem deslocar e agarrar. Encontramos também o ouriço-do-mar que nos últimos tempos tem visto diminuir a sua população devido ao homem o considerar uma iguaria.
Alguns peixes vivem ou ficam aprisionados quando a maré desce, entre estes estão as ranhosas, o bodião, o caboz ou o peixe-sapo. Sobretudo nos meses de verão crescem pequenos juvenis de tainha e sargo sobretudo na zona do eulitoral inferior.

Memória descritiva:
A turma do 4º Ano fez uma pesquisa sobre as praias rochosas que partilhou na Rota UHU e apresentou aos colegas da escola. Cada aluno desenhou uma poça de maré que serviu de base ao painel do ecossistema. Com base nos desenhos eleitos desenhou-se uma poça de maré em grande escala em papel de cenário que se pintou com tinta de guache.
Abriram-se buracos para integrar os alunos no painel.
Fizeram-se colagens com pequenos tesouros deixados no areal durante a maré baixa. Os restos de animais e plantas trazidos pelos alunos foram fixados ao papel com cola UHU de forma a harmonizar este trabalho.

Fotos do painel:

1-contornar
2-pintar
3-carinhas
4-colar-conchas
5-colar- UHU
6-painel