Trabalhos 2016

Centro Educativo Alice Nabeiro

Escalão:  1º escalão (jardins de infância e 1º ciclo)

Descrição do painel:
O Montado é o nosso ecossistema escolhido. É sem duvida a relíquia do Concelho de Campo Maior e dele dependem diversas espécies. O Concelho de Campo Maior situa-se entre dois importantes cursos de água da bacia hidrográfica do rio Guadiana, sendo eles o rio Caia e o rio Xévora. São ambos habitat de inúmeras espécies, como a Lontra (Lutra lutra) e o Saramugo (Anaecypris hispânica), espécie classificada como criticamente em perigo de extinção.
O território possui elevada biodiversidade derivada da diversidade de habitats como os montados, as estepes, as zonas húmidas e os olivais. O mosaico diversificado que constituem decorre da importante atividade agrícola caraterística de Campo Maior. Mas durante os últimos 12 000 anos, o ser humano destruiu os frágeis equilíbrios da natureza. Aqui, no interior da península ibérica, a chegada dos primeiros povos nómadas significou o início de grandes transformações dos bosques mediterrânicos e montados com diferentes usos humanizados. Um dos usos que perdurou foi a apicultura. A biodiversidade dos nossos montados, nos que abundam azinheiras, sobreiros, plantas florais e aromáticas, como a esteva, o rosmaninho, os pastos e as culturas de plantas leguminosas, permitiram às abelhas crias riquíssimas meladas. Águias imponentes criam nas copas das azinheiras como é o caso da Águia Imperial ibérica e o Milhafre real. No inverno as bolotas são o motivo de atração de mais de 8 ooo grous comuns que viajam na sua migração cerca de 10 000 km até aqui. alimentam-se das bolotas e o montado ganha vida!
Zonas de proteção existentes no Concelho de Campo Maior:
O Concelho está integrado na sua totalidade na rede natura 2000 (zona de proteção especial de Campo Maior- PTZPE 0043, sítio de interesse comunitário de S. Mamede- PTCON0007 e sítio de interesse comunitário do Caia- PTCON 0030), o que atesta a importância do território para a conservação da natureza e biodiversidade. Destacamos na paisagem, a estepe, com presença da Abetarda (Otis tarda), o Sisão (Tetrax tetrax) e o Tartaranhão-caçador (Circus pygargus), o Montado onde podemos observar o Grou-comum (Grus grus), o Francelho (Falco naumani), o Peneireiro-cinzento (Elanus caeruleus) e na Barragem do caia, o Tagaz (Gelochelidon nilótica

Memória descritiva:
O trabalho apresentado é o resultado do trabalho coletivo dos nossos alunos do 3º ano e a sua professora Manuela Tomé. Utilizaram a técnica ancestral desenvolvida pelas gentes de Campo Maior na elaboração de flores de papel para as nossas festas do povo e aplicaram-na ao trabalho. A colagem é claramente a técnica mais relevante utilizada, recorrendo à mesma para a construção dos animais e flores recriadas bem como para a aplicação de espigas de trigo recolhidas. Os animais foram escolhidos pelos nossos alunos com destaque para a Águia Imperial ibérica, o Grou comum, a Abelha e o Milhafre real. São ambas espécies fundamentais e relevantes nos ecossistemas de montado. A abelha, faz a ligação entre a biodiversidade animal e a flora que é biodiversa e rica. São exemplo o Chupa-mel, as papoilas e os malmequeres que dão colorido atapetado ao nosso montado. O equilibrio entre as atividades humanas desenvolvidas no montado e a sobrevivência da Azinheira e do Sobreiro é fundamental. A sua resistência às alterações climáticas é conhecida mas os equilíbrios são frágeis. O trabalho motivou e envolveu todos os alunos da turma num total de 25 alunos que desenvolveram as tarefas de projetar, selecionar, cortar e colar e desfrutar! Os gorros foram criados em esponja e aplicada cola para a sua realização. Foram criados pela professora e alunos e o resultado foi brilhante! O conjunto desenvolvido é muito interessante e representativo da riqueza do Montado e esperamos com ele motivar os nossos alunos para um maior conhecimento e descoberta das suas riquezas.

Fotos do painel:

desafio CEAN UHU 2
desafio CEAN UHU
desafio cean uhu4
desafio uhu CEAN 3
desafio uhu cean 5
desafio uhucean 4